SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL (RFB) E PROCURADORIA GERAL DA FAZENDA NACIONAL (PGFN) REGULAMENTAM PARCELAMENTOS DE DÉBITOS FEDERAIS

A PGFN, por meio da Portaria n. 448, de 13 de maio de 2019, instituiu regras regulamentares para parcelamento de débitos federais inscritos em dívida ativa. A Portaria fixa regras para três modalidades de parcelamento:

i. Parcelamento sem garantia (para débitos de até R$ 1.000.000,00);
ii. Parcelamento com garantia (para débitos acima de R$ 1.000.000,00); e
iii. Parcelamento para empresas em recuperação judicial.

Caso o contribuinte queira aderir a algum dos parcelamentos, poderá fazê-lo por meio da plataforma da PGFN, “Regularize”, mas precisa estar atento com as vedações previstas na adesão. Além disso, se o contribuinte efetuar o pedido até o dia 30 de setembro de 2019, os valores mínimos das parcelas serão:

i.  R$ 100,00 (cem reais) para contribuintes pessoa física ou para débitos relativos à obra de construção civil sob responsabilidade de pessoa física;
ii. R$ 500,00 (quinhentos reais) para contribuinte pessoa jurídica; e
iii. R$ 10,00 (dez reais) para parcelamentos de empresas em recuperação judicial.
Na mesma linha, a RFB também regulamentou, via Instrução Normativa n. 1891, de 14 de maio de 2019, parcelamento para débitos não inscritos em dívida ativa, fixando regras para as seguintes modalidades:

i. Parcelamento ordinário;
ii. Parcelamento simplificado (para débitos de até R$ 5.000.000,00); e
iii. Parcelamento para empresas em recuperação judicial.
Caso o contribuinte queira aderir a algum dos parcelamentos, deverá acessar o endereço, http://rfb.gov.br , mas deverá formalizar requerimentos distintos para (i) débitos relativos às contribuições previdenciárias das empresas; dos empregadores domésticos; dos trabalhadores; a título de substituição; e devidas a terceiros; e (ii) débitos relativos aos demais tributos administrados pela RFB.

Diferentemente do parcelamento regulamentado pela PGFN, a Instrução Normativa não prevê valores mínimos das parcelas, em caso de o pedido ser feito até 30 de setembro de 2019.

A equipe de Direito Tributário do Viseu Advogados está à disposição para outros esclarecimentos sobre a matéria.


POR JOÃO VITOR KANUFRE XAVIER DA SILVEIRA

Tributário

(11) 3185-0105

jsilveira@viseu.com.br

LEIA TAMBÉM...

NOVA LEI REDUZ QUÓRUM PARA DESTITUIÇÃO DE ADMINISTRADORES E ALTERA PROCEDIMENTO PARA EXCLUSÃO DE SÓCIOS EM LIMITADAS

A Lei nº 13.792/19, com efeitos desde 04 de janeiro, introduziu duas alterações importantes no Código Civil na parte que regula as Sociedades Limitadas. A primeira alteração é a redução do quórum necessário para aprovar a destituição de sócios administradores de sociedades limitadas, quando eleitos nos Contratos Sociais. O quórum foi reduzido de 2/3 para…

VER MAIS

LUIZ BERTIN É O CONSULTOR DE NOVOS NEGÓCIOS E DE RELAÇÃO COM O MERCADO

Viseu Advogados conta agora com a participação de Luiz Bertin como Consultor de Novos Negócios e de Relação com o Mercado. Luiz formou-se em Direito pela Universidade de São Paulo (USP), e tem L.LM em Direito Econômico Internacional pela Universidade de Warwick (Reino Unido). Está cursando MBA em compliance na FIA/USP , além de ter…

VER MAIS

RECEITA FEDERAL ALTERA NORMAS PARA COMPENSAÇÃO, RESTITUIÇÃO E RESSARCIMENTO DE TRIBUTOS FEDERAIS.

A Instrução Normativa n° 1.810/18 publicada em 14 de Junho de 2018 alterou algumas normas gerais de tributação previdenciária modificando de forma benéfica algumas regras de compensação e restituição/ressarcimento de tributos federais, trazendo ao contribuinte maiores vantagens. A principal alteração é a possibilidade de compensação de créditos fazendários (federais) em previdenciários, possibilidade de compensação decorrente…

VER MAIS

2019 Viseu Advogados - Todos os direitos reservados. - Desenvolvido por: mufasa