GOVERNO FEDERAL EXTINGUE A POSSIBILIDADE DE DEDUÇÃO DA CONTRIBUIÇÃO PATRONAL PREVIDENCIÁRIA DO EMPREGADO DOMÉSTICO NO IMPOSTO DE RENDA

A Lei n. 11.234/2006 estabeleceu a possibilidade de o empregador doméstico deduzir do seu imposto de renda a contribuição patronal previdenciária, calculada sobre a remuneração do empregado doméstico. A norma incluiu o inciso VII ao artigo 12 da Lei n. 9.250/1995, e estendia a possibilidade de dedução até o exercício de 2012 (ano calendário 2011).

Tal dedução teve duas prorrogações:

  • Até o exercício de 2015 (ano calendário de 2014), por meio da Lei n. 12.469/2011; e
  • Até o exercício de 2019 (ano calendário 2018), por meio da Medida Provisória n. 656/2014.

No ano passado, contudo, o Governo Federal não tomou nenhuma medida legislativa para que a dedução fosse prorrogada para o exercício de 2020 (ano calendário 2019). Logo, os contribuintes que pagam a contribuição patronal previdenciária não poderão deduzir do seu IR este valor.

Sendo essas as considerações, a equipe do Viseu Advogados se coloca à disposição para aprofundar este assunto e os seus desdobramentos.


POR

LEIA TAMBÉM...

UMA REFORMA, MUITOS PROJETOS

Uma das formas mais simples de ilustrar o custo da complexidade tributária e da insegurança jurídica no Brasil é o caso real de uma empresa de equipamentos. Um mesmo guindaste pode ter de pagar um tributo de 12% ou zero, a depender de como for identificado em documentos. Se classificado como “sobre esteiras”, paga o…

VER MAIS

VISEU ADVOGADOS PROMOVE DISCUSSÃO ESTRATÉGICA SOBRE FINANÇAS DOS DEPARTAMENTOS JURÍDICOS: ORÇAMENTO E PROVISIONAMENTO

O evento: Finanças dos Departamentos Jurídicos: Orçamento e Provisionamento organizado por Viseu Advogados na última sexta-feira, dia 02 de junho de 2017, contou com a presença de mais de 40 líderes de destaque de departamentos jurídicos de renomadas empresas no Brasil. Na ocasião, foram discutidos temas relevantes para o orçamento dos Departamentos Jurídicos das empresas,…

VER MAIS

AUTORIDADE EUROPEIA LIBERA, COM SALVAGUARDA, USO DE METADADOS DE CELULAR

A autoridade de proteção de dados da Europa entende que dados anônimos podem ser usados para o combate ao Covid, mas eles devem ser transparentes para o público O supervisor da Autoridade Europeia para a Proteção de Dados (EDPS), Wojciech Rafal Wiewiórowski, liberou a União Europeia a utilizar metadados anônimos, gerados pelas operadoras de celular,…

VER MAIS

2020 Viseu Advogados - Todos os direitos reservados. - Desenvolvido por: mufasa