TRT2 NEGA NULIDADE PARA CONTRATO DE TRABALHO INTERMITENTE

O Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região reformou uma sentença de origem em que havia declarado a nulidade do contrato de trabalho intermitente de uma empresa do ramo do varejo. Em primeira instância a Justiça afastou a validade do contrato em razão da quantidade de empregados registrados nesta modalidade. No entanto, o TRT2 considerou que ficou comprovado nos autos que os contratos de trabalho intermitentes firmados pela empresa obedeceram ao disposto nos artigos 443 e 452-A da CLT.

A equipe trabalhista do Viseu Advogados, que representou a empresa na ação, explica que o contrato de trabalho intermitente firmado com os empregados tinha como objetivo atender a demandas pontuais, especificamente no mês de maio de 2018, Dia das Mães, e que o mesmo acontece em outros momentos específicos, como no Natal. O desembargador relator, Ricardo Motumura, destacou que as formalidades previstas na legislação foram devidamente observadas. O fato de existirem diversos empregados contratados nesta modalidade decorre de uma imposição lógica da legislação, pois esta faculta ao empregado aceitar a convocação, motivo pelo qual, deve o empregador possuir outros empregados hábeis a serem convocados.

O posicionamento do TRT2 é importante, pois vem garantir maior segurança jurídica para as empresas que necessitam desse tipo de mão de obra e que encontram-se em estado de cautela em virtude de recente decisão do TRT da 3ª Região, que havia declarado a nulidade dos contrato intermitentes celebrados por uma varejista de grande porte.

Com a decisão do Tribunal, os pedidos de reconhecimento de contrato de trabalho por tempo indeterminado, indenização, estabilidade gestante e indenização por danos morais foram julgados improcedentes.

A equipe de direito trabalhista do Viseu Advogados está à disposição para maiores esclarecimentos sobre o assunto.


POR JAILSON BEZERRA

Trabalhista

(11) 3185-0135

jbezerra@viseu.com.br

LEIA TAMBÉM...

POSSIBILIDADE DE STJ JULGAR DISCUSSÃO SOBRE ICMS DIVIDE PROCURADORES

Procuradores do Ministério Público Federal (MPF) emitiram pareceres com posicionamentos divergentes sobre a possibilidade de o Superior Tribunal de Justiça (STJ) julgar, em repetitivo, a discussão sobre o ICMS que deve ser excluído do cálculo do PIS e da Cofins. Eles se manifestaram em três dos quatro recursos destacados: em dois deles a favor da…

VER MAIS

NEWS | STJ ADMITE COBRANÇA DE COMISSÃO DE CORRETAGEM DE ADQUIRENTE DE IMÓVEL DO MINHA CASA, MINHA VIDA

Acolhendo tese defendida pelo Secovi-SP, Corte confirma prática de mercado e traz segurança jurídica às empresas de intermediação no segmento popular Por 6 votos 2, a 2ª Seção do STJ (Superior Tribunal de Justiça) decidiu ontem, 13/6, que é legal o pagamento de comissão de corretagem diretamente pelo adquirente de imóveis no âmbito do Minha…

VER MAIS

DESVENDANDO O MERCADO DO ‘OURO VERDE’: COMO INVESTIR LEGALMENTE EM MACONHA

Mercado legal da maconha deve movimentar US$ 57 bilhões no mundo até 2027, segundo a “Forbes”; EUA e Canadá são os destinos mais recorrentes desses investimentos Você já pensou em investir em maconha? Já faz algum tempo que a cannabis foi incorporada ao mercado financeiro, sempre ágil em buscar novas oportunidades de ganhar dinheiro. E…

VER MAIS

2019 Viseu Advogados - Todos os direitos reservados. - Desenvolvido por: mufasa