STF DECIDE QUE GRÁVIDAS E LACTANTES NÃO PODEM EXERCER ATIVIDADE INSALUBRE

Foi julgada procedente a ADIN 5938, ajuizada pela Confederação Nacional dos Trabalhadores Metalúrgicos, que questionou um trecho da nova lei trabalhista que permitiu o trabalho de gestantes e lactantes em atividades insalubres, exceto em caso de atestado médico.

A liminar do relator, Ministro Alexandre de Moraes, declarou a inconstitucionalidade da expressão “quando apresentar atestado de saúde, emitido por médico de confiança da mulher, que recomende o afastamento”, presentes nos incisos II e III do artigo 394-A da CLT, inserido no ordenamento jurídico pela Reforma Trabalhista – Lei nº 13.467/17.

Segundo o voto de Alexandre de Moraes, a mulher grávida ou lactante deverá ser realocada para outra atividade ou receber licença, caso a realocação não seja possível.

A maioria dos ministros seguiu o voto do relator (placar de 10 votos contra 1), ministro Alexandre de Moraes, de que a alteração implementada na CLT viola direitos constitucionais como a proteção à maternidade e a integral proteção à criança.

Vencido o Ministro Marco Aurélio Melo, que votou pela improcedência da ação ao argumento de que os preceitos que regulam o trabalho masculino são aplicáveis ao trabalho feminino. “Toda proteção alargada ao gênero feminino acaba prejudicando o gênero”, disse. Para ele, é razoável a exigência de um pronunciamento técnico de profissional da medicina sobre a conveniência do afastamento da trabalhadora. “Os preceitos encerram a liberdade da prestadora de serviços e visam atender às exigências do mercado de trabalho, para não se criar óbice à contratação de mão de obra feminina”, afirmou.


POR MARIA ALICE CASTRO

Trabalhista

(11) 3185-0156

mcastro@viseu.com.br

LEIA TAMBÉM...

REPATRIAÇÃO DE RECURSOS E O IMBRÓGLIO DAS DOCUMENTAÇÕES INEXISTENTES

  Assista ao vídeo de CARLA RAHAL BENEDETTI, sócia criminal do Viseu Advogados, sobre as repatriações de recursos e o procedimento perante documentações inexistentes.

VER MAIS

Gustavo Artese debaterá dados pessoais no DATA PROTECTION FORUM

O número cada vez maior de incidentes de dados pessoais e as diferentes normas legais tem exigido das companhias um esforço especial para ser adequarem à proteção de dados pessoais. Ferramentas específicas, medidas de controle e procedimentos internos adequados, além da mudança da cultural organizacional já vêm sendo inseridos no ambiente empresarial para mitigar riscos…

VER MAIS

A CRIMINALIZAÇÃO DO CAIXA 2

Na última semana o ministro da Justiça, Sérgio Moro, declarou que pretende incluir a criminalização do caixa dois eleitoral no pacote de medidas de combate à corrupção que apresentará à Câmara em fevereiro. Moro defende pena maior para quem cometer a prática ilegal de uso de dinheiro não declarado para financiar campanhas eleitorais. Desde a…

VER MAIS

2019 Viseu Advogados - Todos os direitos reservados. - Desenvolvido por: mufasa