NOVA LEI CONTRA CIBERCRIME INCENTIVA INVESTIGAÇÕES E AUMENTA A POSSIBILIDADE DE PUNIÇÃO, DEFENDE ESPECIALISTA

A publicação da lei 14.155, que endurece penas para fraudes e golpes cometidos por meio eletrônico incentiva investigações e aumenta a possibilidade de punição de cibercriminosos. A afirmação é de Carla Benedetti, sócia do Viseu Advogados e especialista em crimes eletrônicos, que aponta o aumento das penas para até oito anos de prisão. Dessa forma, o período de prescrição dos crimes também aumenta e permite que investigações sejam feitas com mais cuidado e possam resultar em prisões.

De acordo com ela, a polícia sofre uma grande demanda de investigações para diferentes tipos de crime e mesmo investigações privadas precisam de tempo para serem realizadas. Antes da nova lei, os crimes prescreviam em torno de quatro anos, mas com a extensão das penas, aumenta também o período para que os casos sejam julgados, o que permite que as punições sejam de fato executadas.

Carla explica que seu escritório executa investigações próprias para empresas que foram vítimas de algum golpe ou ataque. “Verificamos se há participação de colaboradores e se houve falhas de compliance, além de outros procedimentos, e preparamos um relatório para ser entregue à Justiça.” O documento ajuda o Estado a obter provas para abrir um processo contra criminosos. “Se for o caso, podemos até buscar a quebra de sigilo”, complementa.

O mercado de fraudes saltou 276% em 2020, com uma média de 1,2 tentativas de golpes por minuto, segundo números da Unico, empresa de tecnologia de reconhecimento facial. O índice subiu incentivado pela pandemia de covid-19 e o uso de meios digitais para realizar compras e operações financeiras.

“O aumento no número de casos levou a aprovação dessa lei, que era algo que já se pedia”, afirma Carla. No entanto, ela não acredita que os números caiam a curto prazo, mas a lei é necessária para reduzir a sensação de impunidade. “Não substitui a segurança preventiva que as pessoas e empresas precisam manter.”


POR CARLA RAHAL BENEDETTI

Penal Empresarial

(11) 3185-0150

crahal@viseu.com.br

LEIA TAMBÉM...

PUBLICADA PORTARIA Nº 11 DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA COM A AGENDA REGULATÓRIA DA ANPD PARA O BIÊNIO 2021-2022

A Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD) tornou pública sua agenda regulatória, discriminando as fases de implementação. Gustavo Artese, sócio do Núcleo de Direito Digital do Viseu Advogados, foi entrevistado pelo Portal Crypto ID e falou sobre a Portaria e a importância da agenda enquanto guia estratégico passível de mudanças, que se adapte às circunstâncias dos avanços tecnológicos e conjuntura social.

VER MAIS

PROJETO DE LEI LIMITA REAJUSTE DE VALOR DE ALUGUEL AO IPCA

O recente Projeto de Lei n.º 1026/21, de autoria do deputado Vinicius Carvalho (Republicanos-SP), propõe alteração à Lei n.º 8.245/91, com a determinação de que o índice de correção dos contratos de locação de imóveis urbanos para finalidade residencial e não residencial, não poderá ser superior ao índice oficial de inflação do País e, para esta…

VER MAIS

AQUISIÇÃO QH CONSULT | DESENVOLVIMENTO DE NEGÓCIOS

Tivemos o prazer, por meio de nosso time de Direito Societário, de conduzir o processo de aquisição da QH Consult pela MDS Brasil. Uma das maiores empresas de Seguros no país agora contará com amplo portfólio de seguros e soluções financeiras para o setor educacional, como colégios e instituições de ensino superior. A operação, liderada no Viseu Advogados pelo sócio Paulo Bardella Caparelli, é um dos exemplos de M&A enquanto ampliação de expertise e desenvolvimento de alcance no mercado nacional.

Viseu Advogados: mais que um escritório, um parceiro de negócios.

VER MAIS

2021 Viseu Advogados - Todos os direitos reservados. - Desenvolvido por: mufasa