COMO GARANTIR UMA BOA EXPERIÊNCIA DO CLIENTE?

Nos últimos anos, o termo Customer Experience (CX) ou Experiência do Cliente, tem se propagado no meio jurídico como sendo o Graal do atendimento ao cliente para os escritórios de advocacia.

De uma forma bem “simples”, a experiência do cliente é a soma toda a interação existente com seu provedor de serviços jurídicos. “Simples”, entre aspas, pois reconhecemos que ter clientes satisfeitos com suas experiências e que sejam leais à marca deve ser um trabalho árduo de longo prazo, com interações constantes e prioridade do escritório.

O fato é que existem diversos artigos, inclusive com passo a passo, em como escritórios podem implementar a experiência do cliente.

Este texto irá pela outra ponta, com algumas perguntas que auxiliarão o cliente a avaliar se o provedor de serviços jurídicos está realmente preocupado com a experiência do cliente.

– O escritório possui uma página com design atual, de fácil navegação e intuitiva, com referências rápidas aos serviços prestados e formas de contato?

– Ao contatar o escritório, sou atendido de forma solícita e minha demanda (por menor que seja) tratada com importância?

– Tenho feedbacks periódicos sobre o andamento das minhas demandas?

– Meu provedor de serviços jurídicos tem a preocupação em conhecer a fundo meu negócio ou demanda?

– Sou consultado por meios institucionais, para avaliar tanto o escritório quanto os serviços que contatei?

– Tenho reuniões periódicas (semanais, mensais ou anuais) de realinhamento de escopo com meu provedor de serviço?

– Ao relatar uma queixa sobre os serviços, percebo o esforço do escritório em resolvê-la?

– Meus dados são tratados de forma sigilosa?

– As ações de marketing e comunicação do escritório foram pensadas para o meu perfil?

– O escritório possui uma área dedicada à Experiência do Cliente?

Reconhecer positivamente estes pontos de interação é um forte indicador de que o escritório está no caminho certo para gerar a boa experiência.

Clientes bem atendidos são clientes que recomendam os serviços e são leais à marca. E o atendimento de confiança e excelência é um pilar do Viseu Advogados.


POR COMO GARANTIR UMA BOA EXPERIÊNCIA DO CLIENTE?

LEIA TAMBÉM...

JUCESP ACEITA QUE EMPRESAS INTEGRALIZEM O CAPITAL SOCIAL EM CRIPTOMOEDAS

A Junta Comercial de São Paulo (JUCESP) autorizou, por Ofício Circular, a utilização de criptomoedas como forma de integralização do capital de sociedade empresarial. A equipe de Direito Societário do Viseu Advogados elaborou um informativo sobre o assunto e as possibilidades do uso dessa modalidade para as empresas.

VER MAIS

TOKENIZAÇÃO DE PRECATÓRIOS: POSSÍVEL, PERMITIDO OU VEDADO

Leonardo Cotta Pereira e Michel Camargo Navarro Miranda, sócio e advogado do Viseu Advogados, publicaram um artigo no jornal Estadão sobre a tokenização de precatórios e a análise pela CVM no âmbito do “sandbox regulatório”, previsto na ICVM nº 626 de 2020, o qual tem por finalidade promover o experimento de novos modelos de negócios disruptivos entre pessoas jurídicas, em mercado de valores mobiliários, de forma regulada, caracterizado como “ambiente regulatório experimental”.

VER MAIS

STF REAFIRMA JURISPRUDÊNCIA E DEFINI QUE NÃO INCIDE ITBI SOBRE CESSÃO DE DIREITO

Recentemente, o Supremo Tribunal Federal formou maioria entre os ministros para reafirmar jurisprudência no sentido de que não incide o ITBI sobre a cessão de direitos de imóveis. O assunto, discutido no ARE 1294969, foi analisado no tema 1124 como repercussão geral.

VER MAIS

2021 Viseu Advogados - Todos os direitos reservados. - Desenvolvido por: mufasa